Brasil tem 5,2 milhões de crianças na extrema pobreza e 18,2 milhões na pobreza


Vladimir Chaves


Os indicadores sociais revelam uma realidade perversa para crianças e jovens no Brasil. No ano passado, 12,5% da população brasileira de 0 a 14 anos vivia na extrema pobreza e 43,4% na pobreza, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta semana.

Em números absolutos, são 5,2 milhões de brasileiros de 0 a 14 anos na extrema pobreza – o equivalente a quase toda a população da Dinamarca – e 18,2 milhões na pobreza – pouco mais do que o número de habitantes do Chile.
No Brasil, 10% mais ricos ganham cerca de 17,6 vezes mais que os 40% mais pobres

A pesquisa mostrou um outro dado alarmante: entre todos os grupos etários, o porcentual de pobreza por contingente populacional tem maior concentração nas crianças e jovens.

Segundo o IBGE, é considerado em situação de extrema pobreza quem dispõe de menos de US$ 1,90 por dia, o que equivale a aproximadamente R$ 140 por mês. Já a linha de pobreza é de rendimento inferior a US$ 5,5 por dia, o que corresponde a cerca de R$ 406 por mês. Essas linhas foram definidas pelo Banco Mundial para acompanhar a pobreza global.

Em relação a 2016, houve uma ligeira piora. Há dois anos, 11,4% dos brasileiros entre 0 e 14 anos estavam na extrema pobreza e 42,9% na pobreza.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

 Nenhum comentário

É nesta segunda a diplomação de Bolsonaro e Mourão Cerimônia acontece no plenário do Tribunal Superior Eleitoral


Vladimir Chaves


A diplomação do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e de seu vice, general Hamilton Mourão, acontece nesta segunda-feira (10), às 16h. A solenidade acontece no plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, Distrito Federal.

De acordo com a legislação eleitoral brasileira, antes de um presidente eleito tomar posse, o TSE deve comprovar que ele cumpriu todas as formalidades legais. A diplomação é um atestado de que as eleições ocorreram regularmente e que os candidatos foram efetivamente escolhidos pela maioria do povo.

Os dois cumpriram os pré-requisitos necessários para que a cerimônia aconteça, como a aprovação das contas de campanha pela Corte. A data previamente definida era a terça-feira dia 11, mas foi antecipada em um dia devido à próxima cirurgia do presidente eleito.

O procedimento, previamente marcado para o 12 de dezembro, foi adiado para depois da posse.

 Nenhum comentário

Bruno Cunha Lima anuncia saída do Solidariedade


Vladimir Chaves


“Eu não sou guiado por circunstâncias. Eu faço escolhas”. A frase é do deputado estadual Bruno Cunha Lima e foi dita ao anunciar a sua saída do partido Solidariedade. Ele tomou a decisão após o indicativo da ida do vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior, para a legenda e a solicitação de que ambos fizessem uma composição para direção estadual do partido.

Bruno explicou que tem uma maneira de pensar e atuar na política que diverge do sistema, impossibilitando uma composição dentro do Solidariedade. De acordo com o parlamentar, para evitar problemas futuros, ele tomou a decisão de deixar a legenda. “Por eu entender que não tem condições de se fazer composição, decidi sair para evitar divergências futuros e poder seguir fazendo política como acredito, alinhado à renovação que as pessoas querem.”

O deputado informou ainda não tem definição sobre sua filiação a um novo partido, apesar de já ter sido procurado por dirigentes de outras duas legendas. Revelou também que vem se dedicando ao projeto da criação de uma fundação, que atuará na formação de jovens líderes e abrigará ações de combate ao câncer, inclusão da pessoa com deficiência.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

 Nenhum comentário

Multidão prestigia abertura do “Natal Iluminado 2018” e festeja a passagem da “Caravana da Coca-Cola” com Papai Noel


Vladimir Chaves


Um grande público, formado por milhares de pessoas de todas as idades, especialmente crianças, prestigiou com entusiasmo e emoção ao lançamento oficial, na noite de ontem, 5, do projeto Natal Iluminado 2018, em evento que contou com um espetáculo de luzes, música e uma programação especial voltada para a família, como acontece todos os anos.

A iniciativa da Prefeitura Municipal de Campina Grande se consolida cada vez no calendário turístico da cidade. A programação de abertura do Natal Iluminado começou por volta das 18h30min com a apresentação do Coral da Escola Municipal Leonardo Vitorino, do bairro do Pedregal, integrado por 22 crianças, que cantaram músicas natalinas sob a regência do maestro Herbert Silva Bezerra. Em seguida, aconteceu o acendimento da árvore de Natal de 22 metros, instalada próximo ao Monumento dos Pioneiros.

Assim que a árvore natal gigante foi ligada, um show pirotécnico e uma série de apresentações artísticas ocorreram nas proximidades do Parque da Criança e da Praça José Américo, área que também foi especialmente decorada para integrar a estrutura natalina da cidade. Foram atrações o DJ Moisés Vitalic e saxofonista Jardel Max.

Uma das novidades deste ano foi a integração ao evento da Caravana da Coca-Cola, um projeto de marketing ousado que percorre várias cidades do Brasil. O comboio mágico chegou, por volta das 21h, ao Açude Velho, após percorrer por mais de duas horas um roteiro que incluiu o centro da cidade e vários bairros. Os cinco caminhões da caravana foram recepcionados por uma multidão considerável que ocupou boa parte da área próxima à Estátua dos Pioneiros e a Praça José Américo.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico do Município, Rosália Lucas, a programação foi coroada de sucesso, pois atraiu um público expressivo. “De fato, em nome do prefeito Romero Rodrigues, fizemos questão de agradecer aos milhares de campinenses que estivaram na noite desta quarta-feira em nossa programação natalina”, afirmou, informando que ao longo do mês de dezembro serão realizados outros eventos destinados a manter viva a chama dos tradicionais festejos natalinos da cidade", ressaltou.

Campina tem mais de 200 mil lâmpadas de LED no Natal Iluminado

Os números impressionam, mas é a beleza de todos os utensílios e o encantamento com o clima natalino que transformarão a cidade de Campina Grande durante este mês. São mais de 200 mil lâmpadas de LED, 500 adornos, mais de 25 mil metros de mangueira, três árvores gigantes de natal e milhares de outros equipamentos que irão embelezar a cidade no Natal Iluminado deste ano.

No total, a iluminação natalina da cidade está espalhada por 16 pontos, contemplando também os distritos de Galante e São José da Mata. Locais tradicionais como a sede da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), o Açude Velho, a Praça da Bandeira e a Avenida Brasília prometem encantar pessoas de todas as idades.

Este ano, a Prefeitura de Campina Grande está investindo aproximadamente R$1 milhão no projeto, que há anos tem tornado a cidade mais bonita e transformado o ambiente da Rainha da Borborema. A Praça José Américo, que fica próximo ao Parque da Criança e ao Açude Velho, também deverá ser um dos locais mais visitados por turistas e campinenses.

“Todo o esforço que temos feito para concretizar esse projeto tem o objetivo de transformar a cidade num espaço verdadeiramente com clima natalino. Há muito tempo a população de Campina clamava por isso e temos conseguido nos últimos anos atrair os olhares e a atenção de quem passa pelas ruas da cidade”, observou o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, que lamentou não estar na cidade por conta de compromissos oficiais em Brasília.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

 Nenhum comentário

"O STF é uma vergonha". Projeção de protesto iluminado no prédio do Supremo vira notícia no mundo


Vladimir Chaves


A atitude arbitrária do ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, ao tentar intimidar cidadãos de manifestarem indignação contra o STF, terminou por causar um efeito contrário ao desejo de Lewandowski, que mandou prender um cidadão pelo fato do mesmo ter dito que tinha vergonha do STF.

Numa atitude drástica o ministro mandou prender o advogado Cristiano Caiado de Acioli, pelo fato dele ter tido ao ministro que tinha vergonha do STF, durante um voo com destino a Brasília.

Em sinal de protesto, o Movimento Brasil Livre (MBL) projetou no prédio do Supremo a frase “Vergonha STF”. A imagem, ganhou as redes sociais causando uma repercussão negativa contra a suprema corte no mundo inteiro.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

 Nenhum comentário

Feira Central de Campina Grande terá funcionamento normal no feriado de 8 de dezembro.


Vladimir Chaves


Comerciantes da Feira Central de Campina Grande, através da Associação dos Feirantes do Mercado Central (AFEMEC), solicitaram da administração do mercado central para que a feira tenha funcionamento normal no feriado do dia 8 de dezembro, (Nossa Senhora da Imaculada Conceição).

Segundo o administrador do Mercado Central, Aguinaldo Batista, a pedido dos próprios comerciantes a feira funcionará normalmente no sábado, 8 de dezembro.

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

 Nenhum comentário

Quase um terço das cidades brasileiras corre o risco de virar desertos de notícia, diz pesquisa


Vladimir Chaves


Pelo menos 30% dos municípios brasileiros correm o risco de virar “desertos noticiosos”, áreas sem cobertura de jornalismo local. Essas localidades, mapeadas pela pesquisa Atlas da Notícia, têm apenas um ou dois veículos jornalísticos e abrigam 34 milhões de pessoas.

Caso essas cidades deixem de ter jornais impressos, sites de notícias, revistas, rádios ou redes de televisão, elas podem se juntar aos outros 51% de municípios brasileiros encontrados pela pesquisa que não têm cobertura alguma. Nesses “desertos”, moram 30 milhões de pessoas.

Somados os percentuais das duas categorias, são 81% de cidades no Brasil em situação de vulnerabilidade. O quadro é preocupante, segundo analisa Angela Pimenta, presidente do Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor), instituição que realizou o Atlas da Notícia.

“Nesses locais, a dependência dos veículos é maior em relação ao poder público para verba de publicidade, e há uma cultura menos difundida da liberdade de expressão”, disse ela ao Centro Knight. “O poder público não tem escrutínio jornalístico. E o direito à informação, previsto na Declaração dos Direitos Humanos, não é atendido”.

Os piores cenários estão nas regiões Norte (onde 70% das cidades são “desertos”) e Nordeste (64% de “desertos”), especialmente em municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Localidades sem veículos de jornalismo têm população média de 11 mil habitantes. As cidades com risco de perderem cobertura jornalística local, por sua vez, têm média populacional ligeiramente maior, de 65 mil pessoas.

Este é outro ponto de alerta, de acordo com Sérgio Spagnuolo, fundador e editor do Volt Data Lab, agência de jornalismo de dados que desenvolveu o levantamento. “Esses ‘quase desertos’ vão pegar cidades maiores e jogar nesse mundo dos desertos de notícias. São cidades mais desenvolvidas, com mais pessoas, se tornando desertos”, disse ao Centro Knight.

A pesquisa também verificou uma dependência maior de cobertura feita por rádios e jornais impressos, sobretudo fora dos grandes centros urbanos, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Pela primeira vez, o Atlas da Notícia mapeou todos os tipos de veículos de imprensa e encontrou 32,1% de rádios, 27% de impressos, 22,2% de televisões, 18,4% de meios digitais e 0,4% de revistas.

A dependência do jornalismo impresso é ainda mais significativa quando se considera que, dentre os 81 veículos fechados no Brasil desde 2011, 46 eram jornais, de acordo com dados da pesquisa. “Há nesse panorama duas crises: a crise político-econômica, que pressiona esses meios sobretudo na questão do financiamento, e a disrupção digital”, analisa Pimenta.

Para Pimenta, a falta de verba pode também influenciar a qualidade do jornalismo produzido, já que o trabalho de reportagem exige recursos.

“Há uma tendência de sair da reportagem para produzir opinião e colunismo. Se não existe a matéria prima da reportagem para sustentar análises e opiniões sobre a vida local, o resultado é um jornalismo mais fragilizado para essas populações”, observou ela.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

 Nenhum comentário