Maioria dos candidatos a prefeito e vice em Campina Grande tem diploma de ensino superior


Vladimir Chaves

Seis chapas concorrentes aos cargos de prefeito e vice-prefeito nas eleições municipais de 2016 foram registradas em Campina Grande, e aguardam deferimento da Justiça Eleitoral.

Segundo os dados divulgados no site do Tribunal Superior Eleitoral, a maioria possui diploma de ensino superior e ocupam diversas atividades profissionais.

Confira os dados dos candidatos a prefeito, vice e suas respectivas coligações:

Coligação: Pra Mudar Campina. (PSB, PDT, PSL, PR, PRP, PCdoB, PTdoB).

Candidato a Prefeito: Adriano Galdino (PSB).
Grau de Instrução: Superior Completo – Ocupação: Engenheiro.

Vice-Prefeito: Inácio Falcão (PTdoB)
Grau de Instrução: Ensino Médio – Ocupação: Deputado.

Coligação: Por Campina, Por Você (PPS,PV)
Candidato a Prefeito: Artur Bolinha (PPS)
Grau de Instrução: Superior Completo  Ocupação: Empresário.

Vice-Prefeito: Dr. Jairo Sales (PPS)
Grau de Instrução: Superior Completo. Ocupação: Médico

Coligação: PSOL
Candidato a Prefeito: David Lobão (PSOL)
Grau de Instrução: Superior Completo Ocupação: Professor

Vice-Prefeito: Rejane Maria Silva
Grau de Instrução: Superior Completo  Ocupação: Professora.

Coligação: Por Amor a Campina (PSDB, PP, PSD, PPL, PHS, PMB, PTC, PSDC, PRB, PMN, PSC, PTB)
Candidato a Prefeito: Romero Rodrigues (PSDB)
Grau de Instrução: Superior Completo Ocupação: Prefeito.

Vice-Prefeito: Enivaldo Ribeiro (PP)
Grau de Instrução: Superior Completo  Ocupação: Empresário.

Coligação: Campina Pensando Grande (PMDB, PTN, DEM, PROS, PRTB)
Candidato a Prefeito: Veneziano Vital (PMDB)
Grau de Instrução: Superior Completo  Ocupação: Deputado

Vice-Prefeito: Filipe Gaudêncio (DEM)
Grau de Instrução:  Superior Completo  Ocupação: Empresário.

Coligação: PEN
Candidato a Prefeito: Walter Brito Neto (PEN)
Grau de Instrução: Superior Incompleto Ocupação: Empresário.

Vice-Prefeito: Marcelo Arruda (PEN)
Grau de Instrução: Ensino Médio  Ocupação: Empresário.






quinta-feira, 18 de agosto de 2016

 Nenhum comentário

Insegurança: Deputada Daniella Ribeiro cobra segurança pública.


Vladimir Chaves

A deputada estadual Daniella Ribeiro (PP), voltou a cobrar do Governo do Estado providências urgente no sentido de conter a onda de violência que assola a cidade de Campina Grande e a Paraíba.


“Ontem, tiroteio no Centro de Campina Grande, durante uma tentativa de assalto. Hoje de madrugada, um médico teve a casa invadida por bandidos, também em Campina. Em toda a Paraíba, a sensação é de total insegurança - dentro e fora de casa. A população clama por segurança” disse a deputada. 

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

 Nenhum comentário

Violência: Vereador cobra retorno da “Patrulha Escolar” e “Operação Manzuar”.


Vladimir Chaves

Em atenção ao pedido de socorro da população de Campina Grande, que se encontra em pânico com onde de violência que assola a cidade, o vereador João Dantas (PSD) protocolou requerimento na Câmara Municipal solicitando do comando da Polícia Militar da Paraíba, adoções de medidas urgentes que possam amenizar a onda de assaltos a luz do dia.

No requerimento o parlamentar solicita ainda o retorno da “Patrulha Escolar” como forma de amenizar a insegurança que reina nas escolas de Campina, o vereador pediu ainda o retorno da “Operação Manzuar”.


“O problema da segurança pública é a falta de ações especificas de combate à violência por parte do Governo do Estado, bem como, a extinção de programas que mostravam resultados positivos nesta guerra contra a criminalidade” disse João Dantas. 

 Nenhum comentário

Brasília: Comissão de servidores públicos de Campina Grande buscam apoio a PEC 518/10


Vladimir Chaves

Uma comissão servidores públicos de Campina Grande, realiza desde o inicio desta semana, uma “peregrinação” nos gabinetes dos deputados federais em busca de apoio a PEC 518/10. Se aprovada a PEC oferecerá estabilidade aos servidores públicos que foram contratados sem concurso público, há pelo menos cincos anos antes da promulgação da Constituição de 1988.

Representando mais de 1.700 servidores de Campina Grande, o presidente da ASPRENNE, Gilson Nunes, acompanhado dos servidores Olavo Rodrigues e Vivian Leide, não tem medido esforços para conquistar o apoio dos deputados à PEC 518/10, que está prestes a ser votada no plenário da Câmara.


No último dia 13 de julho, o relator da Comissão Especial responsável por proferir parece a PEC, deputado Átila Lins, ofereceu parecer favorável a aprovação da PEC. 

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

 Nenhum comentário

Câmara homenageou 40 anos do Movimento Cursilho em Campina Grande


Vladimir Chaves

A Câmara Municipal, atendendo propositura do vereador e presidente do Poder Legislativo, Antônio Alves Pimentel Filho, realizou sessão solene para homenagear com Medalha de Honra de Mérito Municipal, o Movimento Cursilho de Caridade em Campina Grande. Também na oportunidade foi entregue o Título de Cidadania Campinense à professora Maria da Glória Araújo, tendo como autor da Lei o vereador João Dantas.

Participaram da solenidade Cursilhistas, membros de entidades filantrópicas e movimentos religiosos entre eles o coordenador do MCC em Campina, Martim Elviro Medeiros; o representante da Regional II, Clodoaldo Muniz; Terezinha Queiroga que representou o MCC nacional; o dirigente espiritual do movimento, Padre Rachid Ilo Bessara Souza entre outros.

O autor da propositura saudou os presentes lembrando um pouco a história desse Movimento e disse que o mesmo surgiu no ano de 1930 na Espanha, idealizado pelos 'Jovens da Ação Católica Espanhola, o Movimento Cursilho de Cristandade.  O movimento chegou ao Brasil em 1962, trazido pelos leigos e sacerdotes espanhóis.

Acrescentou que o 1º Encontro do Movimento Cursilho de Cristandade foi realizado em Campina Grande, no ano de 1975, na Escola Maristas de Lagoa Seca, no período de 23 a 26 de outubro com a participação do então bispo de diocesano Dom Manoel Pereira da Costa.

Pimentel ressaltou que o Movimento de Cursilhos, definindo-se como um “Movimento de Igreja”, tem seu lugar nas “Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil” e tem sua missão específica na ação pastoral e evangelizadora e no contexto eclesial. Essa missão ou função ou função está determinada por seu carisma e expressa por sua finalidade: “Possibilitar a vivência do fundamental cristão, visando criar núcleos de cristãos que fermentem de Evangelho os ambientes, ajudando-os a descobrir e a realizar a vocação pessoal”. 

O coordenador do MCC em Campina, Martim Medeiros destacou que nesses 40 anos já foram realizados 55 encontros com a participação de mais de 60 pessoas que surgem como novos evangelizadores e vão ao encontro de famílias que precisam de ajuda espiritual. O Padre Rachid agradeceu aos vereadores pela homenagem e encerrou sua fala com uma frase do escritor Fernando Pessoa, “o homem é a medida do seu sonho”.


Também foi ressaltado que O Cursilho destaca-se por ser um Movimento eclesial voltado a um primeiro anúncio explícito do ideal evangélico apresentado por Jesus Cristo (kerigma), com o propósito de despertar novas lideranças - preferencialmente, cristãos batizados que estejam afastados da Igreja -, a fim de que se tornem evangelizadoras de suas realidades particulares (denominadas "ambientes").

terça-feira, 9 de agosto de 2016

 Nenhum comentário

Eleitor pode propor notícia de inelegibilidade contra candidaturas irregulares


Vladimir Chaves

A ação de impugnação de candidatura pode ser proposta apenas por legitimados, como o Ministério Público Eleitoral (MPE), partidos, coligações e candidatos. Mas o que poucos sabem é que a legislação permite ao cidadão, no pleno exercício dos direitos políticos, propor, sem que seja representado por um advogado, uma notícia de ausência de condição de elegibilidade. Também pode propor uma notícia de incidência em causa de inelegibilidade.

Na prática, o cidadão que identificar alguma irregularidade na candidatura de um político pode apresentar à Justiça Eleitoral uma “petição fundamentada em duas vias, explicando que o candidato x está na lista do TCU [Tribunal de Constas da União] ou tem condenação por improbidade administrativa”, exemplifica o assessor Especial da Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Alfredo Renan Dimas e Oliveira. A petição pode ser apresentada também ao MPE e, no caso dos municípios, aos promotores eleitorais.

Depois de protocolada a notícia, o juiz que receber o caso dará prosseguimento à instauração da notícia. “O juiz junta a notícia nos autos do pedido de registro [de candidatura] e intima o candidato para manifestação. A instrução do processo segue, no que couber, a regra da ação de impugnação do registro”, diz o assessor. O juiz poderá pedir ainda alguma diligência para verificar a veracidade do que está sendo alegado na notícia. Depois, proferirá sua sentença, pelo deferimento ou indeferimento do registro da candidatura.

Na hipótese de não ser aceita a notícia, não há previsão para que o eleitor possa recorrer da sentença. No entanto, ao reconhecer repercussão geral no Recurso Extraordinário com Agravo (ARE) nº 728188, o Supremo Tribunal Federal (TSE) firmou o entendimento de que o MPE, como fiscal da lei, tem legitimidade para recorrer de decisão que deferiu o registro de candidatura, mesmo que não tenha apresentado impugnação. Essa decisão já valeu para as Eleições 2014.

Existe ainda a possibilidade de, mesmo sem a impugnação ou sem a notícia, o juiz conhecer, de ofício, uma causa de inelegibilidade, quando ciente por outra forma. Um exemplo é quando a autoridade tem ciência pelos jornais de que determinado candidato ao cargo de prefeito tem condenação criminal proferida por órgão colegiado.

 Nenhum comentário

Renato Gadelha denuncia que governador está perseguindo médicos no Sertão


Vladimir Chaves

O deputado estadual, e líder da oposição na Assembleia, Renato Gadelha (PSC), denunciou da Tribuna da Casa de Epitácio Pessoa que médicos estão sendo demitidos em cidades do Sertão por critérios puramente políticos.
De acordo com Renato Gadelha, “este governo que se diz moderno e comprometido com práticas republicanas, lança mão de critérios eminentemente políticos, no pior sentido do termo”. Para Gadelha, a exoneração dos médicos está prejudicando a população, “para satisfazer uma espécie de desejo de vingança do governador”.

Os profissionais em questão são familiares de detentores de cargos eletivos e candidatos nas eleições deste ano. “Por não rezarem a cartilha do governo do estado, profissionais com anos de dedicação à sociedade são afastados de suas atividades ao bel prazer do chefe do executivo”, disparou o líder da Oposição.

A medida do governador gerou grande repercussão em Sousa e região. “A população está prejudicada, aflita, mas o governador prefere atender aos pedidos de aliados sem compromisso com a população, deixando o interesse público em último plano”. Renato entende que a exoneração dos médicos partiu de pedidos de lideranças locais ligadas ao governador.


“O Hospital Regional de Sousa está correndo um sério risco. Temos informações de que se as perseguições continuarem, vários médicos vão solicitar desligamento do Regional, deixando a população desassistida”, disse Renato. O deputado apelou para o bom senso do governador. “O atendimento à saúde não pode se curvar às conveniências políticas. A disputa eleitoral não pode penalizar a população”.

 Nenhum comentário